É tempo de mudar

Tudo mudará quando deixarmos de ser egoístas e pararmos de julgar.

Precisamos perdoar mais, por mais que seja difícil. Os segundos de vida que ainda nos restam precisam ser aproveitados de maneira mais intensa e viva.

Somos, sim, diferentes dos demais que estão ao nosso redor e isso pode ser maravilhoso se bem aproveitado.

Nossa dedicação fará com que o amor que sentimos se aproxime mais do amor incondicional (assim como as mães amam seus filhos). Amando, mudamos… Sempre.

Talvez a mudança não  venha do jeitinho que desejamos ou da forma que planejamos, mas é sempre bem-vinda, pois parar é morrer…

Então, não pare. Continue desejando, querendo, necessitando, e, também, aceitando, perdoando e evoluindo em suas questões e em seus relacionamentos. Não guarde mágoas. Evite atritos desnecessários, pois numa guerra todos saem perdendo – não existe vencedor.

A maturidade é um caminho eterno e esse percurso pode ser gostoso, proveitoso e rico.

O sofrimento é uma oportunidade de crescimento vital.

Ser feliz é uma opção ativa (e não passiva, como muitos querem – que caia do céu).

As surpresas (boas e ruins) são provas – às vezes, difíceis de serem aceitas e cumpridas.

Só o amor prevalece… O “amor de mãe” presente em todos os outros “tipos” de amor deve ser desenvolvido.

Amar é querer amar… sempre.

Ser é querer progredir sendo uma pessoa melhor a cada instante, a cada conquista, a cada derrota.

Perdoe-se… Perdoe… Peça perdão.

Lamente menos e levante a bandeira branca… Apesar de tudo… E de todos.

Mude.

Esta entrada foi publicada em Artigos. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.